Dores de Campos, MG

Cidade para passear, morar e investir.

Dores de Campos, MG – Cidade para passear, morar e investir.

O Canal NAECO apresenta neste vídeo o município de Dores de Campos no Campo das Vertentes de Minas Gerais, filmado em solo nas ruas, estradas rurais e rodovias de acesso, voo panorâmico com drone, narrado, com detalhes por mapa ilustrando referências geográficas, população e recursos econômicos.

O Canal Naeco vai postar todas as 853 cidades mineiras e esperamos que o conteúdo de cada postagem possa servir como entretenimento ou ajuda se você estiver procurando um lugar para passear, morar ou investir.

O acesso a cidade de Dores de Campos é feito pela BR 265 com mais 13 Km até o centro da cidade e fica a 210 Km da Capital Belo Horizonte.

O povoado do Ribeirão do Patusca teve início com a chegada de Bernardo Francisco da Silva, no início dos anos de 1800, adquirindo uma grande extensão de terra, sob jurisdição da cidade de São José Del Rei (Tiradentes), visando formar a fazenda para atividades agropecuárias.

Bernardo Francisco teve quatro filhos que casaram e construíram suas casas onde em seu entorno foram surgindo outras para as famílias que prestavam serviços em suas propriedades e adjacentes, iniciando o povoado do Ribeirão do Patusca.

Com o crescimento do povoado, famílias foram se instalando também para atividades comerciais que ajudaram na construção da capela dedicada a Nossa Senhora das Dores para consolidar o Povoado do Patusca, que se dedicava a produção agropecuária e ficava no eixo da picada entre Tiradentes e Prados.

O trânsito frequente de tropeiros que cruzavam as colinas entre as duas cidades, ajudou no desenvolvimento do povoado do Patusca, que em 1835 começou a produzir, de forma artesanal, arreios para atender as fazendas da região, passando a atende também aos tropeiros que necessitassem de consertos e reformas em seus acessórios de montaria.

O Povoado do Patusca foi elevado a distrito da cidade de Tiradentes, em 1890, com o nome Dores de Campos.

Com o crescimento na produção e interesse em alta pelos produtos de montaria fabricados em Dores de Campos, foi criado tropas de mascates que levavam grandes quantidades em lombos de burros para serem vendidos em outras fazendas, arraiais cidades e estados.

O produto quase exclusivo e sucesso de vendas era o “silhão”, um tipo de sela, segura, muito confortável e macio destinado às mulheres.

Sempre que os mascates voltavam de suas viagens eram recebidos com festas e o sucesso desta atividade fez a integração das famílias. Umas em facções, outras na indústria, outros na venda e entrega solidificaram a amizade entre as famílias Dorenses.

Em 17 de dezembro de 1938 o distrito de Dores de Campos se eleva a município.

Hoje, junho de 2024, o município de Dores de Campos conta com uma população se aproximando de 11.000 habitantes, com um domínio territorial de 124,842 Km², em altitude de 926m e é banhado por córregos e ribeirões afluentes do rio das Mortes que pertencem a bacia do rio Grande.

Os municípios que fazem divisa com o município de Dores de Campos são: Carandaí, Barroso e Prados.

A base da economia do município de Dores de Campos é a agropecuária, indústria e prestação de serviços.

Na pecuária se produz carnes bovinas, suínas e aves. Na agricultura o café é um dos maiores produtores do estado complementado por feijão, milho, batata, frutas entre outras culturas.

Na indústria o título de Capital da Selaria faz desta atividade a cereja do bolo na receita do munícipio de Dores de Campos, onde a tradição e qualidade dos produtos, aqui produzidos, são reconhecidos nacional e internacionalmente.

No turismo os lugares mais visitados são: Paróquia Nossa Senhora das Dores, Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, Capela Santo Antônio, Galeria Bichinho, Centro histórico de Bichinho, Fazendas produtoras de Cachaça Artesanal entre outros.

Um povo hospitaleiro e festeiro, com agenda de eventos entre festas populares, exposições e comemorações religiosas que reforçam os motivos para você passear, morar ou investir em Dores de Campos.